Aravrit é a linguagem que une o árabe e o hebraico

‘Piás de Hitler’
4 de outubro de 2018
Céu e inferno do surrealista Ismael Nery lembra o Brasil atual
18 de outubro de 2018

Aravrit é a linguagem que une o árabe e o hebraico

tradução da palavra água em árabe e hebraico

A tipógrafa e designer Liron Lavi Turkenich descobriu que com a metade de uma letra hebraica e  com outra metade de uma letra árabe é possível criar uma nova linguagem, capaz de promover a comunicação entre árabes e judeus. Aravrit é a linguagem da coexistência. 

Aravrit é um sistema de escrita experimental, pelo qual apresenta um conjunto de letras híbridas que combinam dois idiomas diferentes: o árabe e o hebraico. Cada nova letra é composta pela metade superior da letra árabe, com a metade inferior da letra hebraica.

O sistema experimental foi criado com base na vivência da tipógrafa que nasceu em Haifa, uma cidade de Israel, onde o hebreu, o árabe e o inglês se misturam nas falas da população local.

“Eu nunca estudei árabe . No entanto, em algum momento, percebi que estava olhando para o árabe nos sinais como se fosse decoração. Como ornamentos e não como texto que tem um significado. Isso me incomodou.

O fato de que eu estou vivendo com outra língua ao meu redor e nem mesmo percebendo isso. Também verifiquei e vi que quase não há atenção para como esses três scripts são definidos um ao lado do outro. Comecei este projeto para dar ao hebreu e ao árabe o mesmo respeito no sinal”, explicou Liron. Fonte:only good news.

A sua especialização é em hebraico e amárico (etíope). É coordenadora de eventos da ATypI, organizando a conferência anual e partilha regularmente os seus conhecimentos em exposições, palestras e workshops em Israel e em todo o mundo.

Aravrit

“Este sistema de escrita, que chamo de “Aravrit”, tem novas letras”, afirma. Em hebraico, Aravit significa árabe e Ivrit significa hebraico. Aravrit é uma combinação híbrida de ambos os nomes, assim como o sistema de escrita é um híbrido de ambos os scripts.

“Cada letra é composta de uma parte superior de uma letra árabe e uma parte inferior de uma letra hebraica. Se você é um falante de hebraico, você olharia para a parte de baixo e leria, e se você é um falante de árabe, você verá o topo. Cada um lê a linguagem com a qual se sente mais confortável, sem ignorar a outra, que está sempre presente”.

Reconhecimento internacional

Embora ainda não tenha entrado nas placas de rua, entrou nas salas de aula. “Mostrei aos meus alunos”, disse Romy Barda, que ensina árabe em Israel há mais de 20 anos. “e acho que a maioria dos professores de árabe em Israel mostrou isso aos alunos”.

“Então, quando vamos ver Aravrit em espaços públicos?. Enquanto o roteiro híbrido de Turkenich é inovador e simples, ele atinge um nervo político sensível. Segundo o professor de história de Stanford, Thomas Mullaney, que organizou a exposição, a escrita e os tipos de letra sempre foram visceralmente políticos.Fonte: stanfordaily

O projeto de Liron já está sendo apresentado ao presidente de Israel, Rivlin

Mestrado de Marcela

O olhar se amplia quando nos damos a oportunidade de conhecer novos mundos e diferentes cultura. Fiquei sabendo da pesquisa de Liron por intermédio de minha filha, Marcela, responsável pela identidade visual do PanHoramarte. Também em busca pela utilização do Design com fins sociais.

Atuou na Repórter Brasil, no Instituto Paulo Freire, fez programação visual para o Plano Nacional de Educação anterior a Temer, entre outros trabalhos na área. Hoje faz mestrado em Design da Comunicação, na Universidade Lisboa.

“É encantador saber que existe a possibilidade proposta por Liron”, disse ela, depois da aula para mim. “Prova que somos um só povo”.

Um sorriso de esperança

Liron Lavi Turkenich dissemina o sorriso da esperança. Sua mente é a luz que dissemina o conhecimento universal e une a humanidade numa só energia. A linguagem da coexistência é uma prova de que a Torre de Babel é um mero detalhe. Na essência, o homem pode comunicar-se e difundir o amor, solidariedade, por intermédio de suas atitudes e palavras.

“Acredito que Aravrit envia uma mensagem de que ambos estamos aqui, e podemos também reconhecer um ao outro.”

Liron Lavi Turkenich

Entrevista JTA – TEL AVIV

 

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma. Acredita nas palavras bem ditas ou 'benditas', ou seja, bem escritas, que educam, que seduzem pelos significados, pela emoção ao informar sobre a arte da vida que se manifesta nas relações afetivas, na criação artística, nos lugares, na natureza e na energia do Universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.