Nem Damien Hirst escapa do marketing digital

Alfabetização midiática é o ensino do futuro
25 de junho de 2018
São Jorge não é mais o mesmo.
2 de julho de 2018

Nem Damien Hirst escapa do marketing digital

foto via site Exibart

O controvertido artista inglês Damien Hirst também não escapou das novas estratégias de marketing sugeridas pelos especialistas no assunto. Famoso por suas obras polêmicas, Damien agora postou uma foto no Instagram em que aparece de cueca em seu estúdio, cercado por alguns de seus últimos trabalhos.

Esses são alguns dos meios utilizados para aumentar número de seguidores e dar mais visibilidade ao seu perfil. As escolhas são de cada um. Gerar polêmica, sugerir algo novo, mostrar beleza…

Matéria publicada no Exibart

“Quase 28 mil curtidas e mais de 3.922 comentários sobre o novo post do Instagram de Damien Hirst. O artista inglês postou uma foto que se apresenta de cueca em seu estúdio, cercado por alguns de seus últimos trabalhos, anunciando aos seus muitos seguidores que aqueles que comentarem com a legenda mais divertida receberão um como presente. O trabalho em questão é “Andromeda”, uma cópia numerada e assinada no valor de US $ 3.288.”

Damien Hirst

O artista britânico é um dos mais polêmicos da arte contemporânea. Em suas obras explora temas como a morte. Suas criações normalmente alcançam um preço alto, milhões, e agradam a um segmento de público. Ouro, diamante, formal foram materiais utilizados em seus trabalhos mais questionados por curadores e críticos. Um tubarão conservados em tanque de formal. Uma vaca com as patas em ouro. “Pelo Amor de Deus” é um crânio com mais de oito mil diamantes incrustados.

Tem gente que gosta, paga e alimenta essa irreverência artística que nada mais é do que uma poética crítica do mundo moderno. Poderosa no uso dos recursos para chamar a atenção!

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma. Acredita nas palavras bem ditas ou 'benditas', ou seja, bem escritas, que educam, que seduzem pelos significados, pela emoção ao informar sobre a arte da vida que se manifesta nas relações afetivas, na criação artística, nos lugares, na natureza e na energia do Universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.