Solteiros desestruturados

Veneza é cenário perfeito para uma bienal de arte
31 de agosto de 2017
Azul e ocre se fundem na histórica Dubrovnik
5 de setembro de 2017

Solteiros desestruturados

A dança - Henri Matisse

Tenho dúvidas sobre a melhor forma de chamar a atenção para esse artigo, mas depois de uma conversa nesse fim de semana acho que encontrei um termo adequado para relatar um pouco desse nosso novo estilo de vida do século XXI.

O termo ‘solteiro desestruturado’ não é de autoria própria, senão de um amigo, que numa dessas conversas ácidas no coffee-break do trabalho, utilizou esse termo para referir-se a “panelinha” de solteiros que ali tinham.

Eis que um amigo meu me contando essa historinha me fez pensar na realidade dessas palavras.
Você já parou para pensar em como nossas relações interpessoais mudaram do século passado para este?
Você tem noção do nível de liberdade que hoje tem as pessoas solteiras, sem filhos, sem hipoteca, sem compromissos?

Podemos nos dar ao luxo de viver a nossa própria vida sem pressão da sociedade. Sem regras, nem padrões, ou seja, completamente desestruturada.

Assim como muita gente opta por casar, ter filhos, ter um trabalho estável, comprar casa, carro e passar as férias na praia ou no campo todos os anos, tem gente, hoje em dia, que simplesmente escolhe que esse não é o seu estilo de vida. A grande diferença é que, hoje, a sociedade vem aceitando essas formas de viver de um modo muito mais natural e menos estigmatizada.

Não que não exista estimas ou complexos.

Ninguém melhor para meter pressão na gente que a nossa própria família, amigos próximos, etc. Perguntam se você não tem namorado/a, se não vai casar,se não pode ter filho (porque eles nem cogitam a possibilidade do não querer), se não vai comprar casa ou ter um trabalho condizente com o que a sociedade espera de você.

As senhoritas de Avignon - Pablo Picasso

As senhoritas de Avignon – Pablo Picasso

Também é verdade que a mudança de século trouxe uma mudança de paradigma; e com ela uma liberdade maior para as pessoas tomarem a suas próprias decisões sem tanta pressão externa.

Eu vi muito isso quando comecei a viajar. Adoro viajar sozinha e me aventurar ao desconhecido em busca de algo mais. Poucas pessoas entendem esse meu afã de estar sozinha muitas horas, ou de querer ir a um lugar desconhecido sem conhecer ninguém… mas essa foi uma das formas que encontrei de autoconhecimento e desfrute… ‘disfruto’ da minha companhia.

O legal é que quanto mais você viaja e busca conhecer pessoas, conhece mais justo as que levam estilos de vida mais parecido com o seu. E de repente, você já não tem que se sentir completamente excluído da sociedade.

Pois sim, hoje em dia devo confessar que sou uma solteira desestruturada. Solteira desestruturada como muitos outros que podem ir e vir quando querem, que podem deixar o trabalho sabendo que o único compromisso que tem é consigo mesmo, os que podem ir de férias em temporada baixa, porque não têm filhos e que podem escolher viver a vida com muito mais liberdade.

Uma vida a escolher

Assim fez meu irmão com a sua vida. Ainda que tenha namorada, ambos escolheram juntos viver uma vida “desregrada” e percorrer o mundo com uma mochila nas costas. Assim fez meu amigo David que terminou a universidade e foi pra Londres tentar a sorte. Minha amiga Frazie que deixou de trabalhar na Berlinale para recorrer a França de bicicleta e trabalhar e lugares diferentes em troca de casa e comida.

Jacqueline with flowers - Pablo Picasso

Jacqueline with flowers – Pablo Picasso

Minhas Férias

Solteira desestruturada sou eu, que escolhi pegar a minhas férias em setembro para me meter em um projeto de agricultura ecológica numa vinícola na França. Isso mesmo; passarei minhas férias trabalhando, fazendo a colheita da uva, aprendendo a fazer vinhos e, em troca, me darão casa e comida.

Quem sabe, essas férias sejam as mais econômicas da minha vida. Mas isso não é o que realmente me motiva; me motiva saber que tem agricultores no mundo dispostos a ensinar as técnicas do campo, a sua paixão pela vida, pela uva, pelo vinho.

Me emociona que tenha gente que abre as portas da sua casa a desconhecidos e que durante uma temporada compartam o seu conhecimento.

E assim somos nós, os solteiros desestruturados: acordamos nos fins de semana a hora que queremos, comemos e dormimos a hora que queremos – si comemos e si dormimos -. Viajamos fora de época, estudamos ou simplesmente passamos as tardes no sofá vendo TV.

Vamos e voltamos, com a nossa própria rotina, sem que ela seja imposta por outros… e adoramos isso.

E também a adoramos a vocês; casados estruturados, solteiros disciplinados, aposentados cansados, jovens regrados e adultos obedientes. Não temos preconceito, aceitamos tudo e a todos! E queremos ser aceitos também na rotina caótica do nosso dia a dia, no vai e vem da canção, nas idas e vindas dessa vida.

Solteira desestruturada pronta pra comer o mundo!

As férias começam já!

Comentários Facebook

comentarios

Jaqueline D`Hipolito Dartora
Jaqueline D`Hipolito Dartora
Formada em Jornalismo na Universidade Santiago de Compostela. Jornalista por vocação, já viveu em muitos países (Brasil, Portugal, Inglaterra, Espanha), em busca de desafios. Atualmente trabalha no departamento de Marketing da Tyco Integrated Fire & Security (parte do grupo Johnson Controls) como Campaign & Sales Enablement Manager Continental Europe, apesar de que escrever é a sua verdadeira paixão. E o mundo do vinho também. Além disso, dedica-se a promover formas mais sustentáveis de vida, como o uso da bicicleta em Madri, colaborando com o blog "Muévete en Bici por Madrid". Colabora com alguns blogs e escreve contos em inglês, português e espanhol.

1 Comentário

  1. […] quem lembre do meu texto sobre os solteiros desestruturados. Há quem lembre das minhas divagações sobre esta época, esta mudança de paradigma que estamos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.