Equilíbrio do Yin e do Yang é um quebra-cabeça que fascina. É pura arte!
7 de outubro de 2015
Frida Kahlo e artistas mexicanas surrealistas numa mostra inesquecível
12 de outubro de 2015

Te atreves a sonhar?

Então vamos lá. Acho que acordei inspirada. Pra escrever sobre sei lá o que… mas enfim, vamos escrever.

Sabe essas manhãs que você acorda e pensa que realmente a sua vida tem sentido. Pois é, ela tem! E o sentido dela é diferente para cada um. Porque cada um determina o sentido que vai dar a vida. Pra maioria das pessoas o sentido da vida poder ser crescer, buscar trabalho, casar, comprar casa, ter filhos e buscar a estabilidade, mesmo sabendo que ela é ilusória e que a cada minuto da vida as coisas mudam. Pra outros, como por exemplo foi pro meu irmão e pra namorada foi encontrar o que realmente lhes motivavam como profissionais e como pessoas. O Rômolo e a Nã (meu irmão e a sua namorada) são pessoas que não diferem o trabalho da vida pessoal. Afinal de contas, tudo é vida né; mesmo no trabalho ou em casa, você está vivendo a cada minuto.

Na verdade pra mim também nunca teve diferença. Tanto no meu trabalho como na vida pessoal tento crescer como pessoa, e buscar trabalhos e carreiras que realmente me motivam. O certo é que nem sempre podemos fazer o que gostamos, mas posso garantir que me diverti muito servindo cafés e trabalhando em setores que não são o que eu realmente gosto e quero.

Talvez o segredo seja viver com pouco, mas encontrar nesse pouco algo que faça a diferença pra você.

Tenho uma amiga  que depois de 8 anos trabalhando num banco, com um bom salário (mais bem um super salário), estabilidade e tudo mais que sonha um espanhol de classe média, resolveu deixar tudo para dar aula. Me lembro no dia que ela tomou essa decisão. Delia, é como ela se chama, me dizia: “Eu não quero viver só nas férias ou quando saio do banco, quero viver antes, durante e depois”.  E não é que ela se deu conta que vida não se pode separar.

Ela traçou seu plano de mudança, começando pela casa, depois recortando gastos e por fim, pedindo demissão. Foram mais de 6 meses de mudança mas agora ela já tem tudo. Trabalho na Universidade (ganhando bem menos), um aluguel acorde com o que ganha e saindo menos. Sua filosofia: viver com menos mas vivendo… cada minuto.

Conheço muita gente frustrada com o seu trabalho, e tenho que confessar que buscar uma  vocação é realmente difícil. Eu mesma não consegui ainda encontrar um trabalho que seja realmente significativo… pra mim, pros meus valores e pra tudo aquilo que eu acredito. E confesso que admiro muito as pessoas que largam tudo, da noite pro dia, pra dedicar-se aquilo que gostam.

Na época em que estive buscando trabalho e tinha muito tempo pra nadar navegar pela internet, encontrei o canal no You Tube chamado  Continue Curioso. Era um programa de 15 minutos mais ou menos que falava sobre a mudança radical de vida de algumas pessoas. As entrevistas contavam como bateu o insight e como tiveram que enfrentar todos os preconceitos da sociedade pra se dedicar ao que eles realmente gostam e como tudo isso deu resultado.

Pra mim foi algo inspirador. É inspirador ver que muita gente não se encaixa a esse modelo de vida pré-fabricado pela nossa sociedade. E a verdade é que cada um tem que buscar a sua praia. E elas não são iguais pra todo tipo de pessoa. Eu, sinceramente não podia viver sem uma casa…  como faz meu irmão e a Nã… mas confesso que adoro as mudanças e por mim passaria a minha vida cada ano em um país diferente. Adoro viajar, principalmente de mochila, buscando uma experiência real do lugar onde vou. E não tenho fricote; escolho os destinos mais impopulares, busco sempre fazer CouchSurfing ou Airbnb e aparte de conhecer o turístico, ir a outros bairros mais residenciais pra ver como as pessoas vivem e comer o que elas comem.

Mas pra quem não sabe qual é a sua praia qualquer coisa vale. Pode se afundar em frustração ou também pode pedir ajuda. Anos atrás, o filosofo Alain de Botom criou em Londres e hoje também em São Paulo a School of Life (tradução literal – Escola da vida), justamente pra casos como esses. A School of Life reponde as questões existenciais do ser humano, ou seja, tudo aquilo que não aprendemos na escola. Os temas variam mas os mais populares são “ Como encontrar um trabalho que você ame” e “ Como equilibrar trabalho e vida pessoal”. Nas aulas se explicam que vida realmente não vem com manual de instruções, mas eles tentam ajudar as pessoas a buscarem sentido a vida respondendo a questões básicas que geralmente nunca foram perguntadas ou respondidas. Pode soar de primeiras charlatanismo, mas a verdade é que os cursos tem muito mais de filosofia que autoajuda. Vale a pena conferir; eu fiz já dois cursos em Londres em pretendo voltar.

https://www.youtube.com/watch?v=lFFcR9qjjkE

Admiro muito a Delia, a Nã, meu irmão por perseguirem aquilo que lhes motiva. Como eles, existem tanto outros exemplos. E isso é algo que tento explicar todos os dias aqui na Espanha, aos meus amigos e conhecidos mais próximos. A vida não se separa em trabalho e lazer. Você decide como faz a separação.

Somos responsáveis pelo destino que traçamos, e protagonistas das nossa própria história. Se não somos capazes de decidir, outros farão por nós. Por que então não dar uma chance aquilo que você realmente acreditou?

Te atreves a sonhar?

Comentários Facebook

comentarios

Jaqueline D`Hipolito Dartora
Jaqueline D`Hipolito Dartora
Formada em Jornalismo na Universidade Santiago de Compostela, Jaqueline se identifica como escritora e "vinalogadora". Atualmente dedica-se ao marketing e a comunicação, promovendo eventos que conectam e promovem o diálogo entre o vinho e as artes em geral. Têm também vários projetos paralelos relacionados com as letras e o mundo do vinho. Promove formas mais sustentáveis de vida, sendo uma ativista do uso da bicicleta na cidade e de uma vida mais saudável, lenta e meditada. No seu tempo livre realiza trabalhos voluntários em Vinícolas ecológicas e (WWOOF) y recentemente criou o blog Vinálogos. Colabora com alguns blogs, lojas de vinho, e escreve contos, relatos, ensaios em inglês, português e espanhol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *