O testemunho de Frans Krajcberg
16 de novembro de 2017
Larmes d'or - Anne Marie Zylberman
Lágrimas de emoção fortalecem a nossa existência
25 de novembro de 2017

Os pequenos detalhes importam

DSC_0080

Olhe a sua volta: o que você vê? Como está o dia: faz sol, chove, neva? Esta quente, frio? Você já tomou café? Como você gosta do seu café? Como você gosta do seu café da manhã: com fruta ou sem fruta? Você gosta de ler? De sentir a grama, de ver amanhecer? Você gosta de sorrir? E de os outros sorriam pra você? E que te digam “Bom dia”, “Boa tarde”, “Por favor”, “Obrigado/a”.

Tem pessoas realmente com dons para enxergar, praticar e se alegrar com esses pequenos detalhes. Parece pequeno, minúsculo e às vezes muita gente não dá importância. Pois deveriam: só pelo fato de que te faz mais feliz.

Rir, dançar, tomar banho….

andar, sentir a grama, tomar sol, conversar. Se vida fosse feita só desses momentos já seria maravilhosa!

Mas o que são esses pequenos detalhes, que como muita gente diz, faz toda a diferença?

São estas pequenas coisas que aparecem no nosso dia a dia, que já estão incluídas na bagagem, no trajeto, e que pouco ou nada prestamos atenção. Desde o momento que acordamos até o momento que vamos à cama, passamos pelo dia sem notar um nada de diferente, sem sentir prazer em aquilo que um dia nos fazia sorrir.

São as pequenas coisas da vida.

São aqueles detalhes que parecem que não tem importância, mas quem sabe, se você der importância, pode mudar completamente o jeito que você vê a vida.

Me lembro  de uma vez, ao voltar de carro com uma companheira do trabalho que vivia em Madrid (faz anos) e que ela não se cansava de observar a arquitetura da cidade e o quanto era bonita Madrid. Me lembro que no carro, um dia, ela me disse: olha que bonito o pôr do sol essa hora que voltamos do trabalho! Fiquei realmente atônita com a frase, porque me admirei em ver a sua percepção. Celia estava todos os dias admirando as coisas simples da vida.

Prazeres simples

O prazer que um pode sentir em tomar o seu café, em ir no parque, em ler um livro, em sentir a grama podem fazer toda a diferença em como um encara a vida. São coisas baratas, low cost, mas não significam que por serem baratas perdem seu sentido. Sentar e conversar com um amigo, ter um momento de risada gostosa,  estar o dia todo no sofá vendo filmes: por que não?

Temos a mania de pensar que uma pessoa que vai de férias à Grécia, que se hospeda num hotel 5 estrelas, está aproveitando mais que nós que estamos em casa. Não tem porque; claro que todos nós queremos ter a possibilidade de ir a Grécia e estar num hotel 5 estrelas, mas aproveitar o momento, seja onde for, vai de cada um.

Sem celular

Faz pouco tempo, comecei a deixar o celular em casa quando ia a aula de pilates. A academia deve estar uma meia hora andando da minha casa e gosto de fazer esse caminho tanto no verão como no inverno. Aproveito para ver a luz do dia ou da noite e de ir pensando com os meus botões sobre o que quer que seja.

Não quero estar pendente de nada, nem de ninguém, porque esse é o meu momento. Vou observando o parque, as crianças, as janelas, as luzes acesas dos edifícios da rua Principe de Vergara. Vou andando, escutando música, fazendo daqueles pequenos momentos, um pequeno momento para desfrutar da vida.  Uma trilha sonora que enquadra a vida da Jaque.

O mesmo faço quando tenho meu sábado de manhã livre: adoro essa sensação de ficar na cama com um livro, de ir à cozinha só para fazer café. Principalmente no inverno… estar lendo na cama, vendo a neve cair pela janela é uma sensação única. Na verdade, nesse momento não me questiono nunca se alguém está se divertindo mais do que eu, ou se está desfrutando mais desse momento.

As coisas simples da vida dão significado a nossa existência e por isso pessoas que sabem apreciá-las são mais felizes. Noto muito à minha volta esse tipo de pessoas, e tento aprender com elas: quando me falam sobre a luz, sobre o bonito do dia, ou bonita que você está, o amanhecer, o anoitecer. Tem pessoas que riem e sorriem com qualquer coisa – e que bom é ser assim. E que contagiante é ter pessoas assim do teu lado. Saber que esses pequenos prazeres são capazes de alegrar o teu dia é gratificante.

O importante é a atitude!

Num mundo em que todos os dias acontecem coisas que deploráveis, que são capazes de te afetar, é um alívio saber que um café, um sorriso, um beijo são gestos capazes de transformar o teu dia. Como se diz aqui na Espanha, o importante é a atitude!

E é isso mesmo. Atitude! Atitude diante da vida: encarar os problemas e desfrutar do melhor que ela tem para oferecer.

Ao dar nos conta dos pequenos detalhes, esses pequenos detalhes à nossa volta, conseguimos enxergar além do nosso dia a dia, dos nossos problemas e da rotina que nos prende à vida. Os pequenos detalhes fazem com que o nosso entorno se torne mais humano e mais poético, e por onde, somos mais felizes.

É tao bom saber que muita gente é capaz de dar importância a estas coisas, capazes de transformar o cotidiano de muita gente com um simples gesto.

A vida está cheia de tarefas, nossa agenda está cheia de compromissos. Nos movemos e fazemos muitas coisas no piloto automatico. Que tal fazer uma pausa?! Que tal dar marcha ré?! Quem sabe diminuir a nossa velocidade faz com que a gente se dê conta de muita coisa à nossa volta que não dávamos antes.

E começamos a escrever a poesia da nossa vida!

 

Comentários Facebook

comentarios

Jaqueline D`Hipolito Dartora
Jaqueline D`Hipolito Dartora
Formada em Jornalismo na Universidade Santiago de Compostela. Jornalista por vocação, já viveu em muitos países (Brasil, Portugal, Inglaterra, Espanha), em busca de desafios. Atualmente trabalha no departamento de Marketing da Tyco Integrated Fire & Security (parte do grupo Johnson Controls) como Campaign & Sales Enablement Manager Continental Europe, apesar de que escrever é a sua verdadeira paixão. E o mundo do vinho também. Além disso, dedica-se a promover formas mais sustentáveis de vida, como o uso da bicicleta em Madri, colaborando com o blog "Muévete en Bici por Madrid". Colabora com alguns blogs e escreve contos em inglês, português e espanhol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *