Museu Oscar Niemeyer em Curitiba
Curitiba deu significado para arte em 15 anos
18 de outubro de 2017
10482470_797495650299460_5139263598174257708_n
A magia do tempo em sintonia com a natureza
30 de outubro de 2017

O que eu aprendi fazendo WWOOF

DSC_0283_2

DSC_0998Agora que já faz um mês que eu terminei meu projeto wwoofers, acho que é a hora de contar sobre meus próximos passos e o que eu levo de lição de vida sobre esta experiência.

Posso ver com certa perspectiva o importante que foi participar desse projeto e de aprender não só técnicas de cultivo ecológico, mas também conhecer e interagir com pessoas que realmente creem na construção de um mundo melhor.

Uma amiga

O projeto WWOOF entrou na minha vida no mês de maio quando uma amiga minha disse que estava vivendo na França ajudando a fazer jardinagem em um Chateau na França. Em troca do seu trabalho ela tinha casa e comida. Nessa época eu estava em Hamburgo, com a minha amiga Linda e buscando reencontrar meu papel no mundo e fazer aquilo que me faz feliz.

O ano de 2016 foi bastante tumultuado para mim e sobretudo um ano de mudanças. Tais mudanças fizeram com que tomasse certas decisões na minha vida, que não foram fáceis, mas certamente importantes. Redirecionar, tomar caminhos diferentes daquilo que os outros esperam é algo complicado: principalmente quando estas decisões nunca te dão certeza se foram as corretas no seu tempo.

Erasmus

Assim como 2016 foi um ano de mudanças para mim também foi para a minha amiga Franzie. Franzie e Linda são minhas duas amigas alemãs que fizeram o programa ERASMUS comigo, faz 10 anos em Pontevedra.

Erasmus é um programa de intercâmbio de universidades europeias e, algumas internacionais, para que os alunos cursem um ano dos seus estudos fora do país de origem. Foi ali que eu conheci as duas e fui morar com elas, e 10 anos depois aqui estávamos para compartilhar tudo o que passou nesses últimos 10 anos.

DSC_0965Quando decidi em maio, em Hamburgo, conversando com a Linda, que o meu próximo passo iria ser o WWOOF, mandei uma mensagem a Franzie e eis que ela não só aprovou a decisão como também embarcou na aventura.

10 anos depois, as duas estavam no mesmo projeto no sul da França: eu fazendo vinho na Grange de Bouys, em Beziers, e ela fazendo vinhos em Perpignan.

Nos encontramos ali, cozinhamos juntas, batemos um papo e repito a frase que ela me disse: 2016 foi o ano das mudanças, 2017 é o ano das surpresas. Não podia estar mais certa. 2017 está sendo sem dúvida nenhuma um ano de surpresas: surpresas para mim, para ela e para nossa vida em quase todos os âmbitos dela.

Muitas mudanças

No caso da Franzie também: ela deixou o seu trabalho no Festival Internacional de Cinema de Berlin, a Bilinale e estava viajando pela França de bicicleta e fazendo WWOOF. Neste mês começava a estudar de novo e redireccionar a sua carreira.

DSC_0576No meu caso, eu voltei a fazer pilates, aprendi francês, estou escrevendo mais que nunca, vindimei, plantei, colhi, amassei uvas, construí muros, escadas, peguei na enxada e comecei uma pós-graduação. E li, li nesse ano mais livros que todos os últimos 5/6 anos.

O WWOOF foi a porta de entrada para eu ver que o que eu realmente amo, quem sou e aonde vou. Ver que o que eu realmente amo fazer é possível e é compatível com muitas outras coisas.

Não só a Frazie, mas durante todo o projeto conheci pessoas de todo o mundo com projetos realmente revolucionários e com a vontade de recomeçar a sua vida, de fazer outras coisas que nunca tiveram oportunidade de fazer.

Conheci pessoas dadas a ajudar e com uma vontade de viver incrível.

Quando essas pessoas passam a fazer parte da tua vida, quando você vê que há outras possibilidades, a vida cobra um sentido sem fim.

DSC_0612_2Pessoas que ajudam pessoas; e isso é o mais bonito que eu aprendi ali dentro. Aprendi a plantar, a colher e a respeitar o meio ambiente e o ecossistema.

Mas mais que isso aprendi que podemos sim ajudar a melhorar nosso entorno com pequenos gestos. E isso é algo que levo comigo.

DSC_0380Solidariedade

Me lembro bem que no dia que estava cozinhando com a Dina e fazendo o jantar para 14 pessoas, houve um incêndio grande perto dos vinhedos, acho que numa fazenda ou numa bodega vizinha. Tivemos que preparar nossa mala com básicos, por si tivéssemos que evacuar a Adega. Colocamos roupas de algodão e continuamos nosso trabalho. Disseram que não parássemos e enquanto isso todos faziam a sua parte: fechar a casa, preparar os carros, etc.

DSC_0386O incêndio foi controlado e os bombeiros estiveram toda a noite trabalhando para controlar as chamas. De manhã Florence acordou bem cedo e preparou café da manhã para todos os bombeiros e foi levar-lhes. Acho que eram uns 70 bombeiros, famintos e cansados de tanto trabalhar. Trabalhar para ajudar a toda uma comunidade. O gesto de Florence foi uma lição WWOOF que nunca me esquecerei.

Ajudar o próximo

DSC_0375Outro gesto bonito que me fez pensar foi quando fomos de viagem a Aix-en-Provence. Fomos passar o fim de semana ali e de manhã, quando fomos a tomar café numa padaria da cidade, Alex e Sarah, compraram croissants para os pedintes que estavam na porta do café.

Sarah viu que essa pessoa estava ali, tinha passado a noite ali com frio e fome e foi comprar algo para ele comer. No momento que ele recebeu o croissant ele não deu crédito e apenas agradeceu o gesto.  Outra atitude WWOOF.

DSC_0678 DSC_0684Aqui mesmo na Espanha, nos atentados terroristas, ou mesmo o quando houve um acidente de trem de Santiago de Compostela, os espanhóis se mobilizaram para doar sangue, ajudar as vítimas e todos seus familiares.

Eu me lembro que as filas dos bancos de sangue estavam em colapso, os donos dos hotéis abriram as portas do seu negócio e ofereceram quartos de graça para os familiares das vítimas.

Atitude WWOOF, mesmo sem ser ou fazer.

Durante todo o projeto, gente assim e atitudes assim vi aos montes. Sem grandes gestos, sem grandes ações, mas sim com as pequenas é que transformamos o mundo.

Pratique Gentileza

Me lembro que quando estava no Brasil, era uma leitora assídua da revista Vida Simples e numa determinada época a revista tinha uma campanha chamada “Pratique Gentileza”. Até hoje não vejo melhor título que esse para uma campanha. É isso, não se pode definir melhor. Pratiquemos gentileza todos os dias da nossa vida.

DSC_0612_2Você não tem tempo para fazer voluntariado, mas pode reciclar. Você não tem tempo para preparar sopa, café para as pessoas que não tem o que comer, mas pode um dia entrar num café e comprar alguma coisinha.

Você pode ir numa cafeteria e abrir um sorriso para a pessoa que te atende: dizer por favor, obrigado e desejar-lhe um bom dia. Pedir com carinho e receber com carinho. Reclamar menos e agradecer mais.

Atitudes como essas mudam diariamente a vida de muitas pessoas. O teu sorriso é capaz de mover montanhas, de determinar o bem e alegre que poderá ser o dia de alguém. O teu obrigado mostra o atencioso e educado que você é. O teu beijo, o teu abraço ajudaram quem seja no dia em que algo não está indo bem.

Estes pequenos gestos vão determinar sim o mundo que vivemos.

DSC_0214Não pense em coisas grandes, comece com as pequenas. Comece por agradecer o começo do dia;  o sol, a chuva. Comece por prepara o café, sentar, comer lentamente e admirar a tua casa, a tua família: admirar quem você é.

Recicle, cozinha verde, coma com prazer, leia! Peça às pessoas com educação, agradeça. Tome um banho e seja consciente da água, do tempo. Does as roupas usadas, os livros a bibliotecas.  Doe sangue, doe órgãos. Limpe a casa, organize o armário, as ideias e comece a ser justa com você e com os outros.  Pratique gentileza!

Não é tão difícil, é uma questão de começar. Eu dei meu primeiro passo e sigo andando.

DSC_0101

Comentários Facebook

comentarios

Jaqueline D`Hipolito Dartora
Jaqueline D`Hipolito Dartora
Formada em Jornalismo na Universidade Santiago de Compostela. Jornalista por vocação, já viveu em muitos países (Brasil, Portugal, Inglaterra, Espanha), em busca de desafios. Atualmente trabalha no departamento de Marketing da Tyco Integrated Fire & Security (parte do grupo Johnson Controls) como Campaign & Sales Enablement Manager Continental Europe, apesar de que escrever é a sua verdadeira paixão. E o mundo do vinho também. Além disso, dedica-se a promover formas mais sustentáveis de vida, como o uso da bicicleta em Madri, colaborando com o blog "Muévete en Bici por Madrid". Colabora com alguns blogs e escreve contos em inglês, português e espanhol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *