A magia do tempo em sintonia com a natureza

DSC_0283_2
O que eu aprendi fazendo WWOOF
24 de outubro de 2017
Ciência e Caridade (1897). Pablo Picasso (1881-1973). Óleo sobre tela, 197 x 249 cm. Museu Picasso (Barcelona).
“Quereis conhecer o segredo da morte”
2 de novembro de 2017

A magia do tempo em sintonia com a natureza

10482470_797495650299460_5139263598174257708_n

Há alguns dias fui à praia e me deparei com três crianças na faixa etária de uns 4 anos de idade, correndo em direção ao mar.

Elas corriam como se fosse a ultima chance de entrar na água, como se o mar fosse desaparecer e eles nunca mais o teriam como fazer isso, caso não fossem rápidos e se apressassem para sentir as ondas batendo em suas perninhas.

O ciclo da vida

E se formos pensar pela lógica natural da vida, eles só estavam ali degustando uma, de um milhão de vezes que provavelmente poderão desfrutar um momento parecido, se o ciclo da vida deles transcorrer como se espera e sem interrupções.

A praia é um lugar interessante para se pensar sobre o a magia do tempo. Sobre a vida acelerada que levamos. Sobre o quanto tudo não passa de ritmos alucinantes que criamos para nossas vidas, sem nos darmos conta de que é passageiro e talvez fantasioso.

Água, ar e vento não são capitalistas

Na praia é comum encontrarmos pessoas caminhando de um lado para outro apenas para relaxar. Também encontramos pais observando durante horas seus filhos brincando na água ou na areia. É na praia, onde conseguimos ficar sentados na frente do mar, observando o vai e vem das ondas, sem cansar.

É lá, um dos lugares que podemos nos dar conta de que a água, o ar, o vento, o sol, não são capitalistas e se precisar podemos degustamos deles sem custo nenhum.

Enfim, neste lugar, assim como qualquer outro lugar que podemos entrar em contato com a natureza, é onde existe o poder de pararmos o tempo e de refletirmos o quanto podemos reciclar de nossas energias, o quanto podemos nos impulsionar a buscar caminhos e soluções para tudo que nos incomoda.

Desta forma, sugiro que aproveite o que tem de melhor da natureza, daquilo que ainda não tem custo e que não precisamos pagar ingresso. Apenas desfrute do que puder, para pensar nas alternativas para um caminho tranquilo deste precioso percurso que é a vida.

 

Comentários Facebook

comentarios

Paula Braga
Paula Braga
Psicóloga formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Formação permanente em Psicanálise pelo Fórum do Campo Lacaniano de Natal. Membro da Internacional dos Fóruns – Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano - Fórum Natal. Atua como psicóloga e psicanalista, atendendo na clínica - crianças, adolescentes e adultos.

1 Comentário

  1. Mara Silva Lima disse:

    Verdade .Os fenômenos naturais “natureza” estão aí para todos fesfrutarem. Só tem um gra de problema o capitalismo os destrói com poluição e excesso de consumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *